RIO DE PAZ LEVOU A COPACABANA 21 PAUS-DE-ARARA EM DEFESA DA DEMOCRACIA

Ato foi realizado no dia internacional dos direitos humanos – 10 de dezembro. A ONG levou para a areia 21 paus-de-arara, em lembrança de torturas realizadas no período do governo militar. O preço da liberdade é a eterna vigilância.

Artigo V “Ninguém será submetido a tortura nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante”

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS – Adotada pela Assembleia Geral da ONU no dia 10 de Dezembro de 1948

Cinquenta e quatro anos separam a estudante Paula Montenegro, 17 anos, da data de promulgação da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que faz nesta terça-feira 71 anos.

Mas isso não impediu a jovem de se emocionar e chorar durante o protesto da ONG Rio de Paz, em uma manhã de terça-feira, na Praia de Copacabana, Zona Sul do Rio, do qual participa como voluntária.

No local, em comemoração ao aniversário do documento, foram instalados 21 paus-de-arara simbolizando os 21 anos de ditadura no Brasil. Filiado ao Centro de Informação da ONU (Unic), a ONG Rio de Paz tem lutado pela redução de homicídios no Brasil desde 2007.

A ação aconteceu no momento em que ocorrem manifestações saudosistas da ditadura militar e até de apoio ao extinto Ato Institucional número 5, o AI-5, o mais duro de todos os Atos Institucionais impostos pela ditadura, que resultou na perda e suspensão das garantias constitucionais.

“A gente sente o que aconteceu. Ter que colocar minha melhor amiga no pau de arara (durante o protesto) foi horrível. Infelizmente, a gente ainda tem que lutar contra a ditadura porque tem gente que acha isso certo. O que o país viveu foi ditadura, não revolução como muitos defendem. Estamos representando as famílias dos desaparecidos desse periodo”, disse Paula, muito emocionada.

Pela primeira vez participando de uma manifestação da ONG Rio de Paz, a estudante Marie Maitre, de 15 anos, foi
pendurada no pau-de-arara. “Ficamos poucos minutos, mas pensei nas pessoas que ficaram por horas. A sensação é indescritível. A gente tem que ter q consciência do que aconteceu e lutar pela democracia”, conta ela que acompanha o trabalho da ONG.

Presidente da Rio de Paz, Antonio Carlos Costa, destaca a participação dos jovens no protesto. “Eles não viveram o período da ditadura, que roubou 21 anos da minha vida. Esses jovens têm q consciência cívica de não deixar que isso aconteça na geração deles”, disse Antonio.

“Temos autoridades falando na volta do AI-5. Não aceitaremos um retrocesso histórico. O AI-5 é uma ameaça, um ataque às nossas garantias constitucionais”, finalizou.

A manifestação mobilizou personalidades e formadores de opinião, que enviaram ao Rio de Paz depoimentos e vídeos em defesa da democracia. Acompanhe no Facebook do Rio de Paz.

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *